sábado, 17 de março de 2012

Médico faz o que deveria ser responsabilidade do SUS

gravidez_de_bebes_siameses_com_apenas_um_coracao_p__7fdd0e8659Fazendo o que deveria fazer o corrupto, insensível, demagógico e ineficiente Estado, que infelizmente ocorre no Brasil inteiro mas nesse caso específico acontece no Espírito Santo, o médico Carlos Caldeira conseguiu de graça o exame de Ressonância Magnética Fetal para ajudar a merendeira Luzinete Cruz do Amaral, de 35 anos, gestante de bebês siameses. O procedimento não é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), - mas deveria ser, uma vez que a Constituição diz que saúde é direito do cidadão e dever do Estado - e custaria cerca de R$ 1,4 mil para a família, que teria grandes dificuldades para pagar, ou talvez nem conseguisse fazer o pagamento.

Luzinete está muito feliz com a notícia. "O médico que fez a ultrassom conseguiu o exame para mim. Vai ser em um hospital particular. Eu to muito feliz, menos uma preocupação e agora é esperar o resultado do exame para ver como são os bebês. Com cinco meses de gestação vou fazer a ultrassom morfológica e com seis meses o exame que ganhei, a Ressonância Magnética Fetal", falou.

O governo precisa implantar políticas efetivas anticorrupção, fazendo leis severas que coloquem esses ladrões engravatados para mofar na cadeia, e oferecer os serviços dignos de saúde, educação, segurança, etc, que a população necessita.

Enquanto isso, os menos favorecidos pela sorte tem que contar com pessoas como o Dr. Carlos Caldeira para não morrer à míngua.

Por: Eliseu

Com informações da Folha Vitória

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.