sexta-feira, 27 de abril de 2012

Presidente da Delta se comporta como um funcionário público

cavendisshAo se afastar da presidência da Delta, o empresário Fernando Cavendish se comporta como um funcionário público que, ao ser constatada uma irregularidade, se demite.

Um ministério, secretaria ou qualquer órgão público onde é flagrado algum ato ilícito não pode simplesmente deixar de funcionar. Nestes casos, sim, o chefe da pasta deve se afastar para que o órgão continue a executar suas funções. Mas numa empresa privada, é diferente.

Cavendish acha que fica isento ao se demitir. Na verdade, tal ato acaba por confirmar que cometeu alguma irregularidade.

O governo é que deveria bloquear o patrimônio da empresa e de seus dirigentes, e suspender imediatamente todas os contratos com a empreiteira. É preciso tirar a empresa dos negócios para dar o exemplo. A Delta é que tem de se demitir das relações com o governo. 

Ver o nome da empresa em placas de obras a pleno vapor é um deboche com a nação.

No: Jornal do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.