quinta-feira, 31 de maio de 2012

Perillo e Agnelo serão convocados para CPI do Cachoeira

PERILLO_E_AGNELOA CPI do Cachoeira aprovou nesta quarta-feira (30) a convocação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e do governador do DF, Agnelo Queiroz (PT). Os membros da comissão rejeitaram, por 17 votos a 11, a convocação do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB).

Segundo as investigações da Polícia Federal, o governador de Goiás teria vendido uma casa para o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Foi nesta casa, no condomínio Alphaville de Goiânia, que o contraventor foi preso em 29 de março deste ano.

Além disso, o grupo de Cachoeira teria conexão direta com vários órgãos e entidades do governo de Goiás para burlar licitações e garantir contratos para a Delta Centro-Oeste. O governador nega as acusações.

Na última terça-feira (29), Perillo esteve no Congresso Nacional e pediu para ser ouvido pela comissão. Ele se defendeu das acusações de envolvimento com o Cachoeira. Nesta quarta, ele ligou para parlamentares do PSDB e pediu novamente que fosse aprovado o requerimento para ele falar na CPI.

Eu não fui flagrado conversando (com Carlinhos Cachoeira). Há uma única escuta em que eu cumprimento o senhor Carlos Cachoeira pelo seu aniversário. É o único telefonema. Não há nenhum envolvimento dele ou da sua organização no governo do Estado. Nós tomamos todas as medias que eram necessárias ao longo desse ano e cinco meses de governo para combater jogos ilegais.

Já Agnelo foi convocado porque Cachoeira teria operado para dirigir uma licitação milionária durante seu governo no DF.

No: R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.