sexta-feira, 15 de junho de 2012

Ex-deputado da “oração da propina” é condenado

No: Amigos do Presidente Lula

oracao_propinaO ex-deputado distrital Rubens César Brunelli Júnior, conhecido como Júnior Brunelli, foi condenado ontem pela Justiça do Distrito Federal a devolver R$ 400 mil aos cofres públicos, além de pagar multa de três vezes o dano causado ao Erário, equivalente a R$ 1,2 milhão, mais danos morais de R$ 1,4 milhão. Ele ainda perde os direitos políticos e fica proibido de firmar contrato com o poder público durante dez anos.

Brunelli participava do esquema de pagamento de propina do DF,do mensalão do DEM, denunciado na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. Ficou conhecido por protagonizar o episódio conhecido como “oração da propina”; é o segundo condenado do esquema do DEM. A ex-deputada distrital Eurides Brito, também do esquema de Arruda do DEM, já havia sido condenada a devolver R$ 3,5 milhões na semana passada.

As condenações referem-se às ações que tiveram base nos relatos e vídeos de Durval Barbosa, ex-integrante do governo José Roberto Arruda, que era do DEM, e autor das denúncias. Segundo Barbosa, alguns agentes políticos e autoridades eram cooptados por pagamento mensal de propina, para prestar apoio legislativo aos interesses de autoridades do alto escalão do Executivo do DF.

A sentença que condenou Brunelli não o exime de responder criminalmente pelos fatos. Quanto aos testemunhos do delator, o juiz Álvaro Luís Ciarlini, da 2ª Vara da Fazenda Pública do DF, afirmou que a narrativa de Barbosa é corroborada por “extenso rol de documentos e outros indícios (...) devendo ser valorada de acordo com o princípio da persuasão racional do juiz”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.