terça-feira, 14 de agosto de 2012

Serra/ES. Política do descaso

Além de ser considerado o pior prefeito do país no quesito saúde, Sérgio Vidigal, prefeito da cidade de Serra, na Região Metropolitana de Vitória também prima pelo descaso com o que acontece na cidade

Por: Eliseu

atoleiro_jardim_limoeiroA corrupção e o descaso com a coisa pública está de tal forma entranhada na política brasileira já faz tanto tempo – algo como um pouco mais de 500 anos – que apesar deste blogueiro ser um incansável lutador contra os desmandos, e sempre pensar que com um pouco mais de informação podemos mudar o rumo do Brasil para melhor, confesso que às vezes chega a “bater” aquele desânimo, quase desespero ao presenciar certas cenas.

Nem precisei sair de casa para logo pela manhã presenciar de minha janela uma cena deprimente e lastimável para quem mora na cidade que o prefeito gasta uma verdadeira fortuna em publicidade para anunciar que Serra, na Região Metropolitana de Vitória, Espírito Santo, é a quarta cidade que mais cresce no país.

O prefeito em questão é o “Doutor” Sérgio Vidigal, um ardiloso e demagogo político que ele, juntamente com sua esposa, a deputada Sueli Vidigal, usam recursos públicos para distribuir cestas básicas em troca de votos, e assim, aproveitando da parte mais pobre e menos instruída da população conseguirem se eleger com altos índices.

Mas voltando à “cena deprimente” que aconteceu hoje em frente ao condomínio que esse blogueiro reside, no antigo, central e tradicional bairro de Jardim Limoeiro, onde, como se pode observar na foto acima, um ônibus estava atolado numa rua que dá acesso a vários condomínios residenciais compostos por milhares de apartamentos. Só o que esse blogueiro mora tem 496 apartamentos.

atoleiro_jardim_limoeiroE esse ônibus atolado foi apenas um dos muitos veículos que passaram pela mesma situação hoje, e todo dia que chove. Observando as datas e horários das fotos pode se perceber que a diferença é de apenas algumas horas. E se fosse ficar fotografando todos veículos que atolam aqui não faria outra coisa. Se isso acontece num bairro central, imagine nos bairros periféricos, onde a exposição não é tão grande? E isso sem considerar as poças d’agua que o mosquito da dengue tanto gosta.

Como já publiquei algumas vezes neste blog, a deputada Sueli Vidigal ninguém sabe notícias. Não se vê um só projeto a ela atribuído. O prefeito Sérgio Vidigal é muito bom mesmo em maquiar a cidade gastando milhares de litros de água potável nas principais avenidas, pintar fachadas de postos de saúde, exterminar cães abandonados, além é claro de distribuir cestas básicas com nosso dinheiro.

É de enjoar o estômago ao pensar no destino que deve estar sendo destinado ao dinheiro que deveria ser investido nessa “rua” (e nas inúmeras outras na mesma situação), nos postos de saúde sem médicos e medicamentos da cesta básica do SUS que deveriam ser distribuídos à população, lixo que não é recolhido diariamente e sem coleta seletiva e muito mais. Tudo isso na 2ª maior arrecadadora do Espírito Santo.

Leia também:

No ES caos na saúde não tem fim

2 comentários:

  1. Discordo Uso o SUS e não é tão precário assim não já estive em outras cidades senti um pouco de politicagem ai....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Magno.
      Eu respeito as opiniões contrárias à minha. Mas as fotos que estão na postagem já dizem tudo. E isso num bairro central (Jardim Limoeiro). Quem quiser ver in loco é só vir aqui, (Rua NN). Continua da mesma maneira. E quanto ao atendimento nos postos e farmácias da cidade de Serra, é precário sim. Quantos já não morreram na porta do PA! E os medicamentos, dificilmente alguém consegue pegar todos prescritos.
      Na minha opinião a situação é precária sim. Esses são direitos inalienáveis da população que estão sendo desviados em proveito próprio.
      Obrigado pelo comentário, volte sempre.
      Abraços,
      Eliseu.

      Excluir

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.