sábado, 13 de outubro de 2012

Intolerância religiosa ou loucura?

Homem entra em igreja em Vila Velha, quebra imagem de Nossa Senhora e tenta agredir padre

Por: Eliseu

santaMais uma vez repito que esse blogue trata essencialmente de política e evita polêmicas religiosas. Mas existem assuntos e pessoas “religiosas” que estão umbilicalmente ligados à política, como o pastor Silas Malafaia, comparsa do tucano José Serra, que disse que iria “arrebentar” com Haddad.

É preocupante saber do poder de convencimento de pastores como Malafaia, Edir Macedo e tantos outros da mesma laia que se aproveitam da boa fé das pessoas e fazem fortuna vendendo “milagres”, oferecendo o que a pessoa quer ouvir em troca de gordas ofertas, quando vemos cenas como a que aconteceu ontem em Vila Velha, Região Metropolitana de Vitória, que um homem transtornado quebrou a imagem de Nossa Senhora e tentou agredir o padre. 

De acordo com o portal de notícias G1/ES, o padre Geilson José estava celebrando a missa paroquial em homenagem à Nossa Senhora Aparecida. A igreja estava cheia e todos viram quando, no meio da celebração, um homem vestido com roupas sujas e gastas entrou e se aproximou da santa. Segundo o padre, todos pensaram que se tratava de um andarilho que estava pagando promessa. O homem se aproximou da imagem da santa no altar e a jogou no chão. A imagem ficou em pedacinhos, só restou o manto e a coroa. O homem pegou uma barra de ferro com uma cruz e tentou agredir o padre. Os fiéis intervieram e conseguiram segurar o homem até a polícia chegar.

À polícia o homem identificado como José Sena Santos, disse: “fiz o que o pai do céu mandou. Só cumpri a ordem dele”. Segundo a polícia, existe um mandado de prisão por homicídio em Minas Gerais em nome dele. Por isso, ele ficou detido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.