sexta-feira, 23 de maio de 2014

Na Serra/ES quem é o ladrão?

“Só com a original para carimbar”. E enquanto isso mês passado faltava mais de 40 itens de medicamentos na unidade de saúde de Novo Horizonte, na Serra/ES

Por: Eliseu

carimboInteressante o nosso Brasil, pais lindo por natureza e de corruptos por convicção. País burrocrata, onde os políticos desonestos na ânsia de mostrar honestidade tentam inverter a ordem e colocar o contribuinte, o cidadão de bem como o ladrão.

Foi assim que esse blogueiro se sentiu hoje ao ir buscar medicamentos de uso contínuo que faz uso (posso creditar 50% da enfermidade à raiva que passei e passo do serviço público em geral ineficiente e burro) na unidade de saúde de Novo Horizonte, na Serra/ES. Na hora do tirar o xerox da receita para pegar os medicamentos que são meus (e de todos os brasileiros que necessitarem) por direito, me enganei e tirei uma cópia da cópia. Ao chegar ao guichê, me foi vetada a entrega do medicamento, pois “só com a original para carimbar”, me disse o atendente, do qual sou bastante conhecido.

A única explicação plausível que encontrei foi a de que eu estava sendo chamado de ladrão. Isso mesmo, que eu iria pegar os medicamentos que duram um mês e vender. Só que ladrões são os nosso políticos sem vergonha que mês passado deixaram faltar mais de 40 itens de medicamentos só na unidade de saúde de Novo Horizonte, aqui na cidade de Serra/ES.

Se faltou medicamentos, e essa é uma prática comum, onde foi parar o dinheiro dos mesmos? Quem será o ladrão? O contribuinte que pega medicamentos para uso por um mês ou o prefeito Audifax Barcelos (PSB) e seu lacaio secretário de saúde Luiz Carlos Reblin que movimentam verba para compra de toneladas de medicamentos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.