domingo, 27 de novembro de 2016

Temer terá pedido de impeachment. O traidor foi traído!

Temer foi traído por um de seus asseclas de confiança, tendo sido gravado em seu próprio gabinete. E se manifeste quem duvida que há o “dedo” de Eduardo Cunha

Por: Eliseu

temer_cunha_traição_corrupçaoNão estou aqui para dizer o que deve ou não ser feito. E muito menos me meto em discussões religiosas, até porque é um tema que tenho pouquíssimo domínio. Mas, apesar do pouco conhecimento, sempre gostei da “Lei de talião”, ou seja, dente por dente, olho por olho! Acho justo e pouco importa-me que me julguem como socialmente incorreto ou seja lá o que for.

Fato é que o traidor e  golpista Michel Temer está sendo “julgado” pela “Lei de talião” de forma rápida.

O traidor foi traído! A diferença é que Temer (me recuso a chamar esse canalha de presidente), juntamente com seus asseclas, incluindo aí a mídia tradicional (leia-se Rede Globo, Veja, Folha, etc) traíram Dilma com injúrias, inverdades, com o único objetivo de não deixarem Lula competir (e ganhar) a eleição de 2018.

Agora Temer foi traído por um de seus asseclas de confiança, tendo sido gravado em seu próprio gabinete. E, ao contrário de Dilma e Lula, está diretamente envolvido no caso. E se alguém duvida que há o “dedo” de Eduardo Cunha, que se manifeste.

De acordo com reportagem de CartaCapital, um pedido de impeachment do presidente Michel Temer deve ser protocolado pelo PSOL na próxima segunda-feira 28, na Câmara dos Deputados. O partido anunciou que a justificativa é a denúncia feita pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero à Polícia Federal, na qual ele também acusa Temer de intervir em favor dos interesses particulares do ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima, o que implicaria crime de responsabilidade. A intenção da oposição no Congresso mostra que essa crise não se encerra com a saída de Geddel do cargo.

É aquele antigo Provérbio Português: “ Quem com porcos se mistura, farelos come”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.