quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Moro enlouquece e aceita denúncia de crime que Lula supostamente iria cometer

Por: Eliseu 

lujla_moro_loucura_perseguiçaoO “juiz” Sérgio Moro fica cada vez mais ridículo ao deixar de lado a justiça que um dia jurou defender, e continuar obstinadamente em busca da promoção pessoal – inclusive com uma possível candidatura a presidente – e em defesa dos poderosos de plantão, e evidentemente da Rede Globo e mídia golpista brasileira em geral: Folha, Estadão, Veja, e outras.

Tamanha é a obstinação do “magistrado”, que perdeu o senso do ridículo (o de justiça já perdeu à muito tempo, se algum dia o teve), que agora, no ápice de sua anormalidade mental, resolveu aceitar denúncia de crime que supostamente o ex-presidente Lula poderia cometer.

De acordo com matéria do Plantão Brasil, a Lava Jato abriu um processo contra Lula por ele não ter recebido um terreno, que segundo a operação, seria destinado ao Instituto Lula. A Lava Jato reconhece - porque é impossível não reconhecer - que o terreno não é, nem nunca foi do Instituto Lula ou de Lula.

ditadura_moro_perseguiçao_lulaO também suspeito Supremo Tribunal Federal tem que fazer Sérgio Moro voltar á realidade, sob pena de organismos internacionais serem obrigados a intervir. Ou inevitavelmente estaremos caminhando a largos passos rumo a mais uma ditadura militar.

É o grau de loucura que Sérgio Moro com sua Lava Jato chegou na sua perseguição contra o ex-presidente Lula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é livre. Os comentários são de total responsabilidade dos seus remetentes, não representando necessariamente a minha opinião.
Todos os comentários serão publicados após moderados, mas os comentários anônimos nem sempre serão respondidos.
Porém, não serão tolerados spams, insultos, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.
Textos ofensivos ou que contenham agressão, discriminação, palavras ou expressões grosseiras e sem estarem inseridas no contexto, ou que de alguma forma incitem a violência ou transgridam leis e normas vigentes no Brasil serão excluídos.