sábado, 13 de outubro de 2018

Fascismo toma conta do Brasil

Não é difícil convencer o pobre de direita que o único plano de Bolsonaro é ferrar com os pobres. Difícil é convencer o pobre de direita que ele é de fato um pobre pé rapado e é quem vai de fato se ferrar.

Por: Eliseu 

bolsonaro_agressao_violenciaÉ de arrepiar ver como a maioria da população brasileira é, e sempre foi “cega” em se tratando de política.Temos uma onda anti-PT que é de enojar. Quem nunca viveu aqui, pensa que o Brasil era o país das maravilhas antes de Lula assumir o poder.

Quero registar uma das várias notícias de fontes extremamente confiáveis, como a senhora Paula Pinheiro Ramos Pessoa Guerra, 37 anos, servidora pública, que na noite de domingo (7), num bar em Recife, foi brutalmente espancada após criticar o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

Desde que o ordinário e péssimo navegador que ia buscar especiarias para o Rei de Portugal –outra porcaria de país- errou o caminho e deu com os costados lá pelas bandas da Bahia, que o Brasil é uma verdadeira merda. Sempre espoliado pelos portugueses, que diga-se são mais burros que nós.

Pois bem, já na história recente, o que sempre vimos e vivemos foi a classe abastada cada vez mais abastada, e a classe pobre cada vez mais miserável. Quem adoecesse e não contribuísse com o INPS (hoje INSS), se conseguisse, ia como indigente para um hospital filantrópico, geralmente administrado pela igreja católica e espíritas. Não me lembro de nenhuma igreja evangélica (apesar de sempre faturarem alto em cima dos “fiéis”) manter sequer distribuição de medicamentos. Por falar em medicamentos, quem precisava e não tinha dinheiro tomava chás ou contava com a colaboração de amigos e familiares, ou ainda pedia esmolas. Aposentadoria para deficientes? Oras… Nem pensar! Casa Própria? Coitado! Telefone? Luxo!!!

Após Lula assumir a presidência, de repente tudo muda. Todos passam a ter direito a hospital, pegar medicamentos nos postos de saúde, implantou as UPA’s, SAMU (ainda tem que melhorar, mas nada tinha), construiu milhares de imóveis dignos que o pobre possa pagar, gerou emprego, aumentou a renda da população que chegou a ser acusado publicamente pelo então repórter da Globo Luiz Carlos Prates que “qualquer miserável agora tem carro”. Pobres que jamais pensaram poder fazer um curso superior, fizeram, muitos sem gastar um centavo.

Violência se combate com porrada, diz Jair Bolsonaro

Aí a elite brasileira tomou ódio de Lula. Onde se viu um carpinteiro desfilar de carro ao lado do Dotô! Um pedreiro andar de avião ao lado da madame? Isso é um absurdo. Empregada doméstica ter direitos? Hora para entrar e sair? Onde estamos? Pensaram os da elite. Mas como de otários nada tem, o que fizeram? Terceirizaram o ódio. Passaram o ódio que sentem pelo PT para a pseudo-elite. Aquele pobre que pensa ser rico. Esse é difícil de lidar.

Mas o que estarrece, nessas eleições majoritárias é o ódio que conseguiram transferir aos evangélicos (em sua maioria). O “O Coiso”, de extrema-direita, é simpatizante pela ditadura militar no Brasil (1964–1985) e a defesa das práticas de tortura por aquele regime, conseguir o apoio maciço dos evangélicos. Na modesta opinião deste ignorante blogueiro em religiosidade, sempre imaginei que haddados evangélicos passariam a imagem de pessoas a favor da união, da paz dos ensinamentos divinos, etc. Mas, se estão favoráveis a um ditador e torturador, de duas uma. Ou foram corrompidos pelo demo por sentirem-se donos da verdade, ou não são nada do que pregam, salvando as exceções, claro!

Mas alguns que se dizem católicos, também não ficam de fora. Recebi uma mensagem privativa por pessoa que sequer conheço com a foto e os seguintes dizeres: “Me senti ofendida pela falta de respeito ao copo de Cristo”. Um comentário: “Absurdo, o que eles não fazem hein?” Outro comentário: “Nojo. Ridículo demais”

Caso eu não esteja completamente louco, quero descer desse mundo!